terça-feira, 30 de outubro de 2007

Como NÃO se faz um advergame? Assim:

A Nissan lançou seu carro novo, o Rogue, nos EUA.

Talvez para acompanhar a onda da Toyota, que está colocando uma pancada de jogos online e até usando como meio publicitário o World of Warcraft, a Nissan decidiu colocar alguns mini-games no site que envolvam o carro.

Eu adoro videogames, principalmente os clássicos. Eu acho compreensível que publicitários construam seus advergames baseados nesses jogos antigos, afinal de contas, é nos clássicos que temos qualidade com simplicidade.

O maior problema de todos é quando o advergame não se baseia no jogo, mas sim copia-o inteiramente, na cara dura, simplesmente colando as fotos do produto ou símbolos da marca! E a Nissan fez exatamente isso: pegou jogos famosos dos anos 70 e apenas “colou” o carro em cima.

Publicitários de plantão, faço um convite: Olhem as comparações que fiz abaixo e me digam o que o conceito do jogo tem a ver com o conceito do carro??

Qualquer um faz um advergame nesses moldes. O que ele trouxe pra marca?

(clique nas imagens para ampliar)







Advergame não é "brincar com a marca". Isso é uma mídia, e passa uma mensagem para o consumidor. Me pergunto que raio de mensagem esse advergame quer passar...

Um comentário:

André Forte disse...

É queridão...vale lembrar que a Toyota disponibilizou recentemente um jogo de verdade na Xbox Live, para divulgar seu novo carro, o Yaris.
Que diferença heim...
Um abraço!